WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

camara de ilheus



junho 2021
D S T Q Q S S
« maio    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
videos


:: ‘JAQUES WAGNER’

Política: Ciro Gomes assume que tem conversado com ACM Neto sobre 2022 e provoca PT: “perdão, Jaques Wagner”

Crédito foto: Linha de Frente/crédito de reportagem: Aratu on

O ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT) assumiu que tem mantido conversas com o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), sobre as eleições 2022. O pedetista é pré-candidato à Presidência da República e o democrata ao Governo da Bahia.

“Nós estamos numa fase em que está todo mundo conversando com todo mundo. Não há nada conclusivo entre ninguém com ninguém. O STF adiantou em quase dois anos o processo eleitoral com a decisão a favor do Lula. Tenho conversado, sim, com ele, quem conduz essas conversas é o presidente Carlos Lupi”, disse o ex-ministro durante coletiva concedida a jornalistas baianos.

De acordo com Ciro, as conversas têm o objetivo de “criar uma amplíssima frente para disputar” o pleito. “PV, PDT e Rede, esse grupo pretende conversar com outras frentes mais à direita, para dar base para as reformas que o Brasil precisa. Ninguém sabe com que partidos contará, nem eu, nem o Bolsonaro, nem o Lula, porque isso só se definirá por volta de abril do ano que vem”.

Ciro também provocou o senador Jaques Wagner, que recentemente disse que o pedetista tem tensionado as relações.

“Nós precisamos pedir permissão ao grande patrão para disputar eleição? É um disparate. O PDT está tentando construir um caminho, não vamos tomar de ninguém. Vamos sugerir que não voltem ao passado. O PT governou o Brasil por quatro eleições e não fizeram uma reforma. Perdão, Jaques Wagner, quero só poder falar para o povo nossas ideias. Aqui na Bahia nós temos muita confiança em Felix Mendonça. O PDT ajudou Rui Costa e Jaques Wagner lá no passado e não nos arrependemos disso, mas nós queremos olhar para o futuro”.

Ciro Gomes também explicou porque decidiu se posicionar contra o ex-presidente Lula. “Eu nunca vi uma situação tão grave como tenho visto hoje. O Bolsonaro roubava dinheiro da gasolina do gabinete dele e de repente vira presidente do Brasil. Haveria Bolsonaro se não fosse a profunda contradição econômica que o Lula produziu? Vou arcar com as consequencias da minha posição. Eu ajudei o Lula, mas ele está tomado de ódio, o que ele pode fazer para o Brasil agora que ele não fez nos últimos anos? Eu acredito que nada”.

MPF em Brasília acusa Jaques Wagner de improbidade e pede suspensão dos direitos políticos por cinco anos

A Procuradoria da República em Brasília ofereceu uma ação civil pública contra o senador eleito Jaques Wagner (PT) em que o acusa de improbidade administrativa por conta da nomeação do marido da ex-ministra Ideli Salvatti para um cargo na Organização dos Estados Americanos (OEA). A informação é da coluna Satélite, do jornal Correio.

Em 2015, Wagner, então ministro da Defesa, autorizou a transferência do primeiro tenente do Exército Jefferson da Silva Figueiredo, músico do Exército, para o cargo de ajudante na Junta Interamericana de Defesa da OEA.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a nomeação tinha somente o objetivo de unir marido e mulher, já que Ideli havia sido nomeada dois meses antes assessora da OEA. Para o MPF, Wagner ultrapassou os limites do cargo e causou prejuízos ao erário por escolher um militar para uma função que não existia.

Desse modo, o órgão requer a suspensão dos direitos políticos por cinco anos, pagamento de multa, impedimento de contratar e receber créditos ou benefícios do poder público por três anos. Além disso, pede que Wagner pague multa e ressarça o erário pelo prejuízo.

O salário do marido de Ideli era de US$ 7,4 mil, cerca de R$ 30 mil, nos quase dois anos que permaneceu na OEA, além dos quase R$ 40 mil de ajuda de custo para a transferência. Wagner já havia sido multado em R$ 58 mil pelo TCU.

 











rl consultoria




web