WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

pm ilheus



outubro 2020
D S T Q Q S S
« set    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
videos


PCC usa cartilha para decidir o que fazer com criminosos expulsos da facção [Leia Agora]

Investigação da Polícia Civil de São Paulo aponta que é possível um integrante do PCC (Primeiro Comando da Capital) sair da facção criminosa e continuar vivo. Mas há uma cartilha a ser seguida, que permite, inclusive, o retorno ao crime organizado após um período, desde que não haja dívida –seja “moral” ou financeira.

No processo de exclusão, segundo a polícia, é requerida uma notificação do indivíduo, com as informações sobre os motivos que levaram à saída forçada. Caso haja alguma dívida financeira, ela deve ser paga nesse momento. Se houver uma dívida moral, a resposta é agressão física.

A exclusão de indivíduos da organização é realizada de modo frequente, segundo a polícia. A principal causa, de acordo com a investigação, é a incomunicabilidade do integrante, ou seja, quando o comando não consegue encontrá-lo para que exerça suas tarefas. “Quando isso ocorre, esse indivíduo é denominado como ‘fora de sintonia'”, e sua exclusão é anotada no livro negro, aponta o inquérito.

Em todos os casos, se a dívida não é paga, o criminoso é levado para a “cantoneira”, onde ocorre um “tribunal do crime”. Lá, ele é julgado e, na maioria das vezes, condenado. “Após a exclusão, ocorre a inserção do indivíduo no livro negro da organização criminosa, podendo ser essa exclusão ‘com retorno’ ou ‘sem retorno'”, aponta a investigação da polícia.

Quando a exclusão ocorre por motivo de dívida financeira, é mais fácil o retorno à facção. “Essa exclusão não tem caráter perpétuo, podendo o ex-integrante retornar à organização criminosa em um ano, bastando que a dívida seja quitada e o prazo determinado, cumprido”, relata o inquérito policial que baseou a operação Echelon.

 

Cartilha e julgamento

Há uma cartilha que o PCC segue para tipificar os crimes cometidos contra a própria facção criminosa e a possibilidade ou não de retornar ao grupo. Veja alguns:

  • Ato de incerteza: cabe exclusão com cobrança disciplinar e não há retorno;
  • Ato de “malandrismo”: sem retorno e fica a critério do prejudicado a cobrança;
  • Atitude isolada: cabe retorno a depender da situação;
  • Ato de abandono: sem retorno;
  • Abandono de responsa: cabe retorno dois anos após infração;
  • Calúnia: somente o prejudicado pode dar o retorno;
  • Chantagem: cabe retorno a depender da chantagem que a pessoa usou;
  • Prazo vencido de pagamento: cabe retorno;
  • Despreparo: cabe retorno;
  • Descumprimento da palavra: o retorno fica a critério do credor;
  • Desrespeito à sintonia: cabe retorno;
  • Extorsão: sem retorno, com cobrança efetuada pela disciplinar do comando;
  • Falta de visão: com retorno e cabe punição de 90 dias de suspensão;
  • Falta de transparência: sem retorno e sem exceções;
  • Falta de interesse: cabe retorno em 90 dias;
  • Fraqueza: depende do tipo de “fraqueza”. Em caso de uso abusivo de álcool, cabe retorno; em caso do uso abusivo de drogas não proibidas pelo PCC, cabe o retorno em dois anos se ele ficar sem drogas durante o período e demonstrar que é outra pessoa sem o uso do entorpecente;
  • Falta de compromisso: depende de análise para verificar se cabe ou não retorno
  • Falta de acompanhamento: cabe retorno (com ou sem punição a depender do caso);
  • Falta de comunicação: cabe retorno (com ou sem punição);
  • Má condução: cabe retorno (com ou sem punição);
  • Falta de sintonia: cabe retorno (com ou sem punição);
  • Falta de atenção: cabe retorno (com ou sem punição);
  • Mau exemplo: cabe retorno (com ou sem punição);
  • Mentira: cabe retorno (com ou sem punição);
  • Oportunismo: cabe retorno (com ou sem punição);
  • Superfaturamento: cabe retorno (com ou sem punição);
  • Iludir a sintonia: não cabe retorno.

Interceptações feitas pela polícia mostraram como o sistema de julgamento funciona. Alguns telefonemas feitos por Laudemir Costa dos Santos, o Dentinho, 39, que cumpre pena no presídio de Segurança Máxima de Campo Grande, exemplificam o uso da cartilha. Segundo a polícia, Dentinho comanda o setor responsável por cadastrar e coordenar integrantes do PCC nos estados, além de gerenciar criminosos que estão em situação de inadimplência, dívida ou indisciplina diante da facção criminosa.

Em 8 de novembro de 2017, às 16h11, Dentinho afirma a um integrante da facção identificado como RD: “Na data de hoje, você vem a ser excluído do Primeiro Comando da Capital”. Na sequência, ele pede para que RD não leve nenhum tipo de problema para a facção e informa que a exclusão era sem retorno.

Por telefone, Dentinho fala com outros dois integrantes do PCC, presos em Presidente Venceslau, no interior de São Paulo. Ele dá as ordens para cobrar a dívida de RD por meio de agressões físicas. Ele manda agredir o homem do pescoço para baixo, não bater enquanto ele estiver caído e não deixar ele tomar água durante duas horas após a “cobrança”.

Dentinho, no entanto, nega o diálogo interceptado. Em depoimento à Polícia Civil, ele afirmou que não fazia parte do PCC e disse que nada sabia sobre nomes, expressões, cargos ou terminologias relacionadas ao crime organizado. Ele alegou apenas ter convivido com pessoas vinculadas à facção.

Outras questões disciplinares também podem levar à exclusão do integrante da organização, como, por exemplo, o consumo de crack. Tal característica foi observada em conversa gravada em 28 de outubro de 2017, à 0h22, transcrita, conforme abaixo, pelos investigadores da operação Echelon.

“Alvo [integrante do PCC] conversa com outro irmão do comando [PCC], onde o alvo diz que entraram em contato com ele sobre um irmão do comando que está usando ‘crack’ e roubando na quebrada, que irá colocar este irmão na linha e se ele confirmar que está utilizando ‘crack’, que irá excluir ele pelo motivo de estar utilizando droga proibida pelo comando aos seus integrantes. O interlocutor disse que tem um vídeo deste integrante fumando crack.”

Quando o criminoso paga sua dívida com o PCC e manifesta o desejo de retornar, caso seja aprovado novamente na facção, ele passa a integrar o “livro branco” do crime organizado, onde estão todos os integrantes “em dia” com o partido do crime.

Já os integrantes que não têm dívidas com a facção e manifestam o desejo de deixar o PCC podem sair seguindo o direcionamento de não se envolver em nenhum crime ou caso se convertam a alguma religião.

Com Jair Bolsonaro o Roda Viva registra sua segunda melhor audiência em 2018

Roda Viva é um dos principais programas de entrevistas da televisão brasileira. Vários nomes importantes já foram sabatinados por grandes jornalistas e críticos de televisão. Na noite da última segunda-feira, 30 de julho, a atração bateu recorde de audiência.

De acordo com os dados consolidados do Ibope, a presença de Jair Bolsonaro rendeu à atração 2,4 pontos de média e venceu RedeTV Band das 22h15 às 23h45, ocupando o quarto lugar no ranking das audiências na Grande São Paulo, onde cada ponto equivale a cerca de 72 mil domicílios.

Essa foi a segunda maior audiência do programa, ficando atrás apenas da entrevista com o Juiz Sérgio Moro, exibida também neste ano. O programa vai ao ar todas às segundas, a partir das dez horas na TV Cultura.

Por: Tv O Foco

Verdade: Saiba o motivo da reunião com José Ronaldo em Ilhéus

Essas entidades vem a publico informar que na última quinta-feira(26), foi realizado uma reunião realizada na sala de uma residência com espaço para não mais que 30 pessoas (lideranças políticas de Ilhéus),com o pré candidato ao governo da Bahia, José Ronaldo, que esteve na região para receber o título de cidadão itabunense e na oportunidade em Ilhéus, aceitou o convite e participou da reunião com as entidades que apresentaram alguns indicadores e problemas que se encontra a cidade de Ilhéus e Região, na pauta foram explicitados a irresponsabilidade do fechamento do Hospital Regional Luiz Viana Filho pela atual gestão PT e Rui Costa á discriminação sofrida pelos municípios que estão fora da órbita do município de Salvador onde se concentram todas as oportunidades relacionadas com o crescimento e desenvolvimento econômico social, bastando afirmar que o PIB de Salvador equivale ao somatório dos PIBs de 372 dos 417 municípios que constitui o Estado da Bahia, tomando-se por base a soma do município com menor PIB(Dom Macedo Costa) em escala ascendente constatar-se-a inclusão de 372 municípios para equivaler ao PIB de Salvador.

Por tanto em respeito as pessoas de bem, que são adeptas da verdade que entre tantas outras maldades como o fechamento do HGLVF propagam mentiras sendo esse o do governo PT.

Não vimos nos MICROblog’s que propagou as mentiras a cerca da reunião particular abraçar a defesa do Hospital Regional Luiz Viana Filho, nem trazer á público matérias de defesa de Ilhéus e Região.

Obrigado aos Senhores.

PT convocará jejum nacional em nome de Lula

O Partido dos Trabalhadores realizará convenção no dia 4 de agosto para oficializar a candidatura presidencial de Lula. Líderes da legenda planejam convocar a população a fazer uma jejum nacional, em solidariedade aos militantes que farão greve de fome pela liberdade do ex-presidente, segundo informa a coluna Painel da Folha de São Paulo.

Uma outra estratégia apontada pela coluna é que os petitas entregarão alimentos para famílias das periferias do país com a mensagem “foi Lula quem mandou entregar”.

O PT produziu 1 milhão de folhetos para convocar militantes de todo o país para o ato que registrará  da candidatura de Lula no TSE, dia 15 de agosto. Lideranças acreditam que o ato poderá reunir   30 mil a 40 mil pessoas em Brasília.

Sem holofotes e com mais ação: José Ronaldo participou de uma grande reunião em Ilhéus


Sem sensacionalismo nem holofotes hipócritas de quem enche um salão para promover simplesmente o volume de “marionetes” e “soldadinhos de chumbo” prontos para aplaudirem, sabe lá o que, o pre candidato a governador da Bahia, José Ronaldo, esteve em Ilhéus na última quinta-feira(26), e participou de uma valiosa reunião com cidadãos comprometidos com o futuro da cidade, cuja pauta não era nem o futuro governador, nem os futuros deputados, mas sim o futuro de Ilhéus e de toda região sul baiana.

A pauta? Saúde. O foco? as irregularidades em torno do fechamento do hospital Regional. A preocupação? Fazer com que o pre candidato a governador conhecesse de perto a realidade que assola a população ilheense e conta com o descaso e a irresponsabilidade da atual gestão.

Não havia casa cheia, porque o objetivo não era showmício… o que foi dito, não necessitaria palanque, nem picadeiro… apenas olhos humanos para reconhecer a dor de um povo, ouvidos sensíveis para ouvir as propostas inovadoras e reais de pessoas comprometidas com a cidade, e principalmente uma boca capaz de assimilar todas as informações e se comprometer com o esperado.

José Ronaldo em um encontro rápido e objetivo prometeu que se governador irá apurar as denúncias contra o fechamento do Regional, desde os funcionários nomeados após o fechamento da unidade até o paradeiro dos maquinários de raio x, ultrassom, tomografia, incluindo os contratos milionários que não foram apurados com precisão nem sequer isenção. E garantiu aos presentes a reabertura do Hospital Regional Luiz Viana Filho, levando as lagrimas enfermeiras e funcionários que viveram a realidade dos ilheenses por não terem direito à vida.

De fato não é com circo que se conquista mudanças, nem se vence eleições. O povo quer ser ouvido e respeitado para assim poder depositar nas urnas a sua confiança.

Por Caliana Mesquita

Ilhéus: Caixa sinaliza que construtora vai restaurar acesso do Sol e Mar

Em resposta ao requerimento de nº 123, apresentado pelo vereador Ivo Evangelista (PRB) em maio último, a Superintendência Regional Sul da Bahia da Caixa Econômica Federal sinalizou que a Construtora Kubo Engenharia e Empreendimentos LTDA vai realizar as intervenções necessárias para a recuperação do acesso ao Conjunto Habitacional Sol e Mar, do programa Minha Casa, Minha Vida, localizado no bairro Nossa Senhora da Vitória.

Em comunicado assinado pelo gerente de filial de Habitação/ Itabuna, Roberto Celestino Alves Sales e pelo Gerente Regional/ Sul da Bahia. Alberto Catarino de Marcos Neto, a equipe de engenharia da Caixa realizou vistoria no local, e constatou a necessidade da recuperação da entrada do Sol e Mar. O requerimento foi fruto de inúmeras solicitações feitas por moradores do condomínio, que estão sofrendo com as péssimas condições da única via de acesso ao local.

O conjunto conta com 2.100 unidades habitacionais. Em dezembro do ano passado, o vereador Ivo Evangelista esteve reunido com a Gerente Geral da Agência Ilhéus/Ba, Gidalva Oliveira e o gerente Regional/ Sul da Bahia, Alberto Catarino de Marcos Neto pra tratar sobre a melhoria do autoatendimento das agências em Ilhéus. Na oportunidade foi feito ainda o pedido de recuperação do acesso do Sol e Mar.

Por: jornal do Radialista

Ilhéus: Ivo Evangelista poderá apoiar Junior Reis em 2020

Mesmo em ano de eleição presidencial, em Ilhéus muitos já estão pensando na municipal de 2020.

Cada dia vem surgindo nomes que querem pleitear o executivo da cidade. Um dos nomes mais comentados do momento é o do jovem empresário e presidente da CDL de Ilhéus, Júnior Reis. Mesmo não tendo nada definido ainda, muitos já vêm demostrando interesse em apoiá-lo.

Ontem, em um bate papo com o vereador Ivo Evangelista, no grupo de WhatsApp do blog Novais Notícias, ele comentou que, caso não saísse candidato a prefeito em 2020, apoiaria Júnior Reis.

Foi perguntado se, em 2020, seria candidato ou apoiaria a candidatura de Júnior Reis.

“Se Deus permitir e assim o quiser, sim, mas não vejo dificuldade em apoiar outro nome que possa cumprir e fazer o que o município de Ilhéus precisa, pois chega de administração desastrosa e descomprometida com o povo desta cidade”, Disse.

Eleições 2018: Saiba o que candidato e eleitor podem e não podem fazer durante o período de campanha

A partir do próximo dia 16, data em que estará liberada a propaganda eleitoral, conforme resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Caso contrário, estarão sujeitos a multas e até a cassação do mandato, no caso dos eleitos.

Em 7 de outubro, brasileiros vão às urnas escolher candidatos a presidente e vice-presidente da República, governador e vice-governador, senador, deputado federal e deputado estadual ou distrital. Onde houver segundo turno, a campanha nas ruas vai até 27 de outubro, na véspera da votação (28, domingo).

Veja abaixo um resumo do que podem e não podem fazer candidatos e eleitores durante a campanha eleitoral deste ano:

O que pode o candidato

  • Distribuir folhetos, adesivos e impressos, independentemente de autorização, sempre sob responsabilidade do partido, da coligação ou do candidato (o material gráfico deve conter CNPJ ou CPF do responsável pela confecção, quem a contratou e a tiragem);
  • Colar propaganda eleitoral no para-brisa traseiro do carro em adesivo microperfurado; em outras posições do veículo também é permitido usar adesivos, desde que não ultrapassem meio metro quadrado;
  • Usar bandeiras móveis em vias públicas, desde que não atrapalhem o trânsito de pessoas e veículos;
  • Usar em carreatas, caminhadas e passeatas ou durante reuniões e comícios alto-falantes, amplificadores, carros de som e minitrios entre 8h e 22h, desde que estejam a, no mínimo, 200 metros de distância de repartições públicas, hospitais, escolas, bibliotecas, igrejas e teatros.
  • Realizar comícios entre 8h e 24h, inclusive com uso de trios elétricos em local fixo, que poderão tocar somente jingle de campanha e emitir discursos políticos;
  • Fixar propaganda em papel ou adesivo com tamanho de até meio metro quadrado em bens particulares, desde que com autorização espontânea e gratuita do proprietário;
  • Pagar por até 10 anúncios em jornal ou revista, em tamanho limitado e em datas diversas, desde que informe, na própria publicidade, o valor pago pela inserção;
  • Arrecadar recursos para a campanha por meio de financiamento coletivo (crowdfunding ou vaquinha virtual)
  • Fazer propaganda na internet, desde que gratuita e publicada em site oficial do candidato, do partido ou da coligação hospedados no Brasil ou em blogs e redes sociais;
  • Promover o impulsionamento de conteúdo na internet (post pago em redes sociais), desde que identificado como tal e contratado exclusivamente por partidos políticos, coligações e candidatos e seus representantes, devendo conter o CNPJ ou CPF do responsável e a expressão “Propaganda Eleitoral”;
  • Fazer propaganda em blogs, redes sociais e sites de mensagens instantâneas com conteúdo produzido ou editado por candidato, partido ou coligação;
  • Usar ferramentas para garantir posições de destaque nas páginas de respostas dos grandes buscadores;
  • Enviar mensagens eletrônicas, desde que disponibilizem opção para descadastramento do destinatário, que deverá ser feito em até 48 horas.

O que não pode o candidato

  • Fixar propaganda em bens públicos, postes, placas de trânsito, outdoors, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibus, árvores, inclusive com pichação, tinta, placas, faixas, cavaletes e bonecos;
  • Fazer propaganda em bens particulares por meio de inscrição ou pintura em fachadas, muros ou paredes;
  • Jogar ou autorizar o derrame de propaganda no local de votação ou nas vias próximas, mesmo na véspera da eleição;
  • Fazer showmício com apresentação de artistas, mesmo sem remuneração. Cantores, atores ou apresentadores que forem candidatos não poderão fazer campanha em suas atrações;
  • Fazer propaganda ou pedir votos por meio de telemarketing;
  • Confeccionar, utilizar e distribuir camisetas, chaveiros, bonés, canetas, brindes, cestas básicas, bens ou materiais que proporcionem vantagem ao eleitor;
  • Pagar por propaganda na internet, exceto o impulsionamento de publicações em redes sociais;
  • Publicar propaganda na internet em sites de empresas ou outras pessoas jurídicas, bem como de órgãos públicos;
  • Fazer propaganda na internet, atribuindo indevidamente sua autoria a outra pessoa, candidato, partido ou coligação;
  • Usar dispositivos ou programas como robôs, conhecidos por distorcer a repercussão de conteúdo;
  • Usar recurso de impulsionamento somente com a finalidade de promoção ou benefício dos próprios candidatos ou suas agremiações e para denegrir a imagem de outros candidatos;
  • Fazer propaganda eleitoral em sites oficiais ou hospedados por órgãos da administração pública (da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios);
  • Agredir e atacar a honra de candidatos na internet e nas redes sociais, bem como divulgar fatos sabidamente inverídicos sobre adversários;
  • Ao fazer divulgação do financiamento coletivo (crowdfunding ou vaquinha virtual) para arrecadação de recursos de campanha, os candidatos estão proibidos de pedir votos;
  • Veicular propaganda no rádio ou na TV paga e fora do horário gratuito, bem como usar a propaganda para promover marca ou produto;
  • Degradar ou ridicularizar candidatos, usar montagens, trucagens, computação gráfica, desenhos animados e efeitos especiais no rádio e na TV;
  • Fazer propaganda de guerra, violência, subversão do regime, com preconceitos de raça ou classe, que instigue a desobediência à lei ou que desrespeite símbolos nacionais.
  • Usar símbolos, frases ou imagens associadas ou semelhantes às empregadas por órgão de governo, empresa pública ou estatal;
  • Inutilizar, alterar ou perturbar qualquer forma de propaganda devidamente realizada ou impedir propaganda devidamente realizada por outro candidato.

O que pode o eleitor

  • Participar livremente da campanha eleitoral, respeitando as regras sobre propaganda nas ruas e na internet aplicadas aos candidatos;
  • Apoiar candidato com gastos de até R$ 1.064,10, com emissão de comprovante da despesa em nome do eleitor (bens e serviços entregues caracterizam doação, limitada a 10% da renda no ano anterior);
  • Fazer doações acima de R$ 1.064,10 apenas mediante transferênciaeletrônica (TED) da conta bancária do doador direto para a conta bancária do candidato beneficiado;
  • Fazer doações para candidatos por meio de sites habilitados pela Justiça Eleitoral para realizar financiamento coletivo (crowdfunding ou vaquinha virtual);
  • Ceder uso de bens móveis ou imóveis de sua propriedade, com valor estimado de até R$ 40 mil;
  • Prestar serviços gratuitamente para a campanha;
  • No dia da votação, é permitida só manifestação individual e silenciosa da preferência pelo partido ou candidato, com uso somente de bandeiras, broches, dísticos e adesivos;
  • Manifestar pensamento, mas sem anonimato, inclusive na internet.

O que não pode o eleitor

  • Trocar voto por dinheiro, material de construção, cestas básicas, atendimento médico, cirurgia, emprego ou qualquer outro favor ou bem;
  • Cobrar pela fixação de propagandaem seus bens móveis ou imóveis;
  • Dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou outra pessoa, dinheiro, dádiva ou qualquer vantagem, para obter ou dar voto, conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita;
  • Fazer doação para campanha com moedas virtuais;
  • Se servidor público, trabalhar na campanha eleitoral durante o horário de expediente;
  • Inutilizar, alterar, impedir ou perturbar meio lícito de propaganda eleitoral;
  • Degradar ou ridicularizar candidato por qualquer meio, ofendendo sua honra.
  • Fazer boca de urna no dia da eleição, ou seja, divulgar propaganda de partidos ou candidatos

Homem é acusado de manter a mãe de 73 anos em cárcere privado

Um homem de 41 anos, que não teve a identidade revelada, foi preso neste sábado (28) sob acusação de ter mantido a mãe de 73 anos em cárcere privado no interior do Rio de Janeiro. A vítima foi encontrada pela Polícia Civil no dia 19, após denúncias dos vizinhos, desidratada e debilitada.

Segundo a Polícia, o homem não dava água nem comida à mãe. Desde que ela foi resgatada, ele estava foragido da. No local onde ela era mantida em cárcere privado não havia banheiro interno, as portas eram trancadas com cadeados e as janelas fechadas com tijolos.

De acordo com a Coordenadora do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), órgão vinculado à Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, Thiara Correa, a mãe já havia sido afastada do convívio com esse filho, porém, ela sempre voltava por não identificar a situação que passava como violência.

A idosa recebeu atendimento médico e já foi liberada. Ela ficará sob os cuidados de outros familiares, segundo a prefeitura de Itatiaia.

Inquérito para investigar circunstâncias do incêndio na Assembléia Legislativa é aberto

A 11ª Delegacia Territorial (DT/Tancredo Neves) abriu inquérito para investigar o incêndio, na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), ocorrido na tarde deste sábado (28). Investigadores seguem no local buscando informações sobre o fato. A perícia foi solicitada e o Departamento de Polícia Técnica (DPT) espera liberação do Corpo de Bombeiros para iniciar o trabalho.

Os militares irão autorizar a entrada dos peritos após redução da temperatura interna do local e análise da estrutura física. O titular da 11ª DT/Tancredo Neves, delegado Thiago Pinto, informou que alguns funcionários prestaram depoimentos preliminares. O incêndio aconteceu, no 3° andar da Alba, e não deixou feridos.











rl consultoria




web