O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, disse ainda que não há alteração na política de preços da empresa | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/SBT NEWS

Após uma fala do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a respeito do preço da gasolina, o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, disse nesta 2ª feira (27.set) que quem deve cuidar do valor dos combustíveis é o Governo Federal, por meio dos ministérios de Minas e Energia, e Economia, e da Casa Civil. A Petrobras também falou que analisa internamente outros aumentos, pois vê uma defasagem nos preços.

À tarde, em discurso, Bolsonaro pontuou: “Alguém acha que eu não queria a gasolina a R$ 4? Ou menos? O dólar R$ 4,50 ou menos? Não é maldade da nossa parte. É uma realidade. E tem um ditado que diz: ‘Nada não está tão ruim que não possa piorar’. Nós não queremos isso”.

Silva e Luna abordou o tema, posteriormente, em entrevista coletiva. Segundo ele, “não há nenhuma mudança na política de preços, na política da Petrobras. Continuamos trabalhando da mesma forma como sempre trabalhamos”. Ainda de acordo com o executivo, “a Petrobras é responsável por parte da formação do preço, no caso da gasolina, como mostramos no vídeo, é cerca de R$ 2 por litro na bomba, as outras partes não são da Petrobras”.

Em outro momento da coletiva, afirmou: “Entendemos que isso aí [aumento de preços] está com o governo, na área do Ministério de Minas e Energia, na área Economia e com a Casa Civil, são os atores que poderiam contribuir com uma posição final desse tema”.