WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia





setembro 2021
D S T Q Q S S
« ago   out »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
videos


:: 27/set/2021 . 22:40

O Brasil tá lascado: Petrobras estuda outros aumentos no preço dos combustíveis

O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, disse ainda que não há alteração na política de preços da empresa | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/SBT NEWS

Após uma fala do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a respeito do preço da gasolina, o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, disse nesta 2ª feira (27.set) que quem deve cuidar do valor dos combustíveis é o Governo Federal, por meio dos ministérios de Minas e Energia, e Economia, e da Casa Civil. A Petrobras também falou que analisa internamente outros aumentos, pois vê uma defasagem nos preços.

À tarde, em discurso, Bolsonaro pontuou: “Alguém acha que eu não queria a gasolina a R$ 4? Ou menos? O dólar R$ 4,50 ou menos? Não é maldade da nossa parte. É uma realidade. E tem um ditado que diz: ‘Nada não está tão ruim que não possa piorar’. Nós não queremos isso”.

Silva e Luna abordou o tema, posteriormente, em entrevista coletiva. Segundo ele, “não há nenhuma mudança na política de preços, na política da Petrobras. Continuamos trabalhando da mesma forma como sempre trabalhamos”. Ainda de acordo com o executivo, “a Petrobras é responsável por parte da formação do preço, no caso da gasolina, como mostramos no vídeo, é cerca de R$ 2 por litro na bomba, as outras partes não são da Petrobras”.

Em outro momento da coletiva, afirmou: “Entendemos que isso aí [aumento de preços] está com o governo, na área do Ministério de Minas e Energia, na área Economia e com a Casa Civil, são os atores que poderiam contribuir com uma posição final desse tema”.

Una: PCdoB realiza conferencia Municipal

Texto de responsabilidade do PCdoB

O PCdoB de Una continua firme e atuante na defesa da democracia. Realizada no sábado (25/09/2021), a Conferência Municipal do PCdoB de Una, contou a participação do Sr. Rodrigo Cardoso, integrante do Comitê Estadual e com sua comitiva: CRIS, EDSON E EDUARDO, respectivos representantes da UBM – União Brasileira de Mulheres, UNEGRO – União de Negros Pela Igualdade e MLT – Movimento de Luta pela Terra. Abrilhantaram a conferência o presidente do PT- Partido dos Trabalhadores de Una, Samarone, juntamente com o petista, ex-vereador e ex-Secretario Municipal, o advogado Gilberto Lisboa, o Presidente do PSOL – Partido Socialismo e Liberdade de Una, o militante Roberto Carlos, acompanhado de Helvécio, candidato a prefeito na ultima eleição municipal, O presidente da Câmara Municipal de Una, o Professor Jorge do PP – Partido Progressista, o Presidente do STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Una, o Sr. Delmiro, o Presidente da Cooperativa COOPAFEBA, o Sr. Zenilton, o Professor Luiz Henrique, ex-integrante do PCdoB de Una e sua esposa, Adriana.

Aos conferencistas, o Sr. Rodrigo Cardoso parabenizou os integrantes do partido pela sua atuação no município de Una, apresentou e discorreu sobre o PROJETO DE RESOLUÇÃO AO 15º CONGRESSO DO PARTIDO COMUNISTA DO BRASIL, pontuou com ênfase a defesa da democracia e do Fora Bolsonaro, orientado pela união da esquerda e das correntes progressistas.

Reconduzido à presidência do Partido, o Sr. Érico Fontes, a advogada Renata Vilela, integrante do Diretório Municipal e o Sr. João Geraldo, também reconduzido à Secretaria de Organização do partido, ressaltaram sobre os avanços do PCdoB em Una, dentre eles, a participação com candidaturas próprias ao executivo e ao legislativo nas eleições municipais de 2020, a participação efetiva nos movimentos sociais, principalmente nos movimentos rurais e de mulheres.

À comissão estadual foi apresentado, dentre outros, os principais dirigentes de linha de frente do partido em Una, Presidente: Érico Fontes, Vice Presidente: Renata Vilela e Secretário de Organização: João Geraldo.

Novo lote do auxílio emergencial é liberado; saiba quem recebe

A Caixa Econômica Federal paga nesta 2ª feira (27.set) a sexta parcela do auxílio emergencial para os beneficiários do Bolsa Família com o Número de Inscrição Social (NIS) terminado em 7. Os valores variam de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil familiar.

O recurso pode ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem para o pagamento de contas domésticas, boletos e compras virtuais, ou pode ser sacado através do Cartão Bolsa Família ou Cartão Cidadão em uma das agências da Caixa, lotéricas ou nos correspondentes Caixa Aqui.

Em caso de dúvidas, a Caixa disponibiliza a central telefônica 111, que funciona de segunda a domingo, das 7h às 22h. O beneficiário também pode ser consultado através da página do programa.

 

Ilhéus: Jerbson Moraes é recebido com festa pelos Tupinambá

O presidente da Câmara Municipal de Ilhéus, vereador Jerbson Moraes (PSD), destacou neste final de semana a importância do povo Tupinambá e reiterou o seu compromisso na luta pela sobrevivência e manutenção da cultura indígena no sul da Bahia. Recebido com festa pelas principais lideranças da etnia, Moraes participou ao lado de outras autoridades políticas da Bahia do 2º Seminário de Jovens e Anciões nos Conhecimentos Tradicionais e compôs a mesa na abertura do evento.

O presidente da Câmara destacou a importância da etnia ter, hoje, uma representação no Poder Legislativo, que é o vereador Cláudio Magalhães (PCdoB), e lembrou o seu apoio aos Tupinambá através da Lei de Diretrizes Orçamentárias aprovada pela Câmara de Vereadores de Ilhéus. Ela traz importantes emendas que foram apresentadas Jerbson, a exemplo da que trata da recuperação da estrada e da ponte da localidade de Sapucaeira, zona rural de Ilhéus; o fomento à realização de oficinas e seminários para organizar e sistematizar as ações de saúde publica com foco na saúde dos povos indígenas; apoio às organizações do movimento indígena para o exercício do controle social em saúde; e a construção de uma escola municipal indígena em Sapucaeira, observando as características da cultural local.

A iniciativa do fórum realizada pelos Tupinambá culminou, neste domingo, com a Caminhada de Olivença em defesa da demarcação de suas terras ancestrais e contra o marco temporal, medida defendida por ruralistas. Esta interpretação considera que os indígenas só teriam direito à terra se estivessem sob sua posse no dia 5 de outubro de 1988, data da promulgação da Constituição Federal, ignorando as históricas violações que esses povos sofreram ao longo dos anos.

Há, em síntese, duas teses principais que se encontram atualmente em disputa: de um lado, a chamada “teoria do indigenato”, uma tradição legislativa que vem do período colonial e que reconhece o direito dos povos indígenas sobre suas terras como um direito “originário” – ou seja, anterior ao próprio Estado. A Constituição Federal de 1988 segue essa tradição ao garantir aos indígenas “os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam”. Do outro lado, há uma proposta restritiva, que pretende limitar os direitos dos povos indígenas às suas terras ao reinterpretar a Constituição com base na tese do chamado “marco temporal”.





web