WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

soane galvao camara de ilheus



julho 2021
D S T Q Q S S
« jun    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
videos


:: 19/jul/2021 . 21:05

Política: Bolsonaro cogita desistir da eleição de 2022 se não tiver voto impresso

Por: R7

O presidente Jair Bolsonaro insinuou nesta segunda-feira (19) que pode desistir da candidatura à reeleição em 2022 caso não seja aprovada no Congresso a impressão dos votos das urnas eletrônicas.

Em um discurso já recorrente, o presidente afirmou aos apoiadores, em frente ao Palácio da Alvorada, que “eleição sem voto auditável não é eleição, é fraude”.

Bolsonaro disse ainda que os votos das urnas eletrônicas serão auditados dentro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), “de forma secreta” e “pelas mesmas pessoas que liberaram o Lula [ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva] e o tornaram elegível”.

Na realidade, todas as fases da votação, segundo o TSE, são auditáveis e podem ser acompanhadas por integrantes dos partidos políticos do país. O retorno do voto impresso foi testado em 2002 e descartado por várias falhas no processo.

Olha, eu entrego a faixa para qualquer um se eu disputar eleição…”, deixou no ar Bolsonaro. “Agora, participar dessa eleição com essa urna eletrônica…”, completou, dando a entender que pode não concorrer à reeleição se não houver a mudança.

A declaração é um recuo em relação ao que disse no dia 9 de julho, quando declarou que, se não houvesse a impressão dos votos, poderia não haver eleição em 2022.

O chefe do Executivo foi além na análise. De acordo com ele, o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, interferiu no Poder Legislativo para barrar o voto impresso no Congresso.

“O Barroso foi para dentro do Parlamento fazer reunião com os congressistas. E acabou a reunião, o que vários líderes fizeram? Trocaram os parlamentares para votar contra o parecer do deputado Filipe Barros [PSL-PR], relator do projeto”, afirmou.

Na visão de Bolsonaro, a urna eletrônica tem tecnologia defasada e é falsa a informação de que o sistema do TSE é inviolável.

O presidente justificou a falta de pressa na conversa de mais de 20 minutos com os apoiadores em Brasília. “Estou sem agenda”, contou. O dia, brincou, será dedicado à cobrança dos ministros.

Bolsonaro ficou internado entre quarta-feira (14) a domingo (18) para tratar uma obstrução intestinal. “Não teve nada a ver com a motociata. [O problema} Começou em Porto Alegre [RS], mas foi um churrasco. Enchi a pança”, explicou.

Meio ambiente: Desmatamento na Amazônia cresceu 51% nos últimos 11 meses

Altamaria e outras 3 cidades concentram 52% de toda a devastação registrada no Pará | Divulgação/Ibama/SBT News

A Amazônia perdeu, em junho deste ano, uma área de floresta de 926 km². O território é quase três vezes maior do que a cidade de Fortaleza, segundo dados do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). A área desmatada nos últimos 11 meses, de agosto de 2020 até junho de 2021, chegou a 8.381 km². Isso significa um aumento 51% em relação ao período de agosto de 2019 a junho de 2020, que somou 5.533 km² de devastação.

“Já vínhamos acompanhando esse aumento do desmatamento mensalmente, com recordes negativos. As áreas desmatadas em março, abril e maio foram as maiores dos últimos 10 anos para cada mês. E, se analisarmos apenas o acumulado em 2021, o desmatamento também é o pior da última década”, comenta o pesquisador do Imazon Antônio Fonseca.

O Pará lidera o ranking dos estados com maiores taxas anuais de desmatamento, com destaque em 4 municípios: Altamira, São Félix do Xingu, Novo Progresso e Itaituba, que somaram 174 km² de área desmatada.

“Apenas essas quatro cidades concentram 52% de toda a devastação registrada no Pará. E uma parcela do desmatamento que ocorre nesses municípios está situada em áreas sem destinação de uso, o que caracteriza o processo de ocupação da terra através de ações de grilagem para regularização futura”, relata Fonseca.

No Amazonas, a destruição do bioma segue aumentando na região Sul do estado, onde ficam quatro dos 10 municípios que mais desmataram em junho: Lábrea, Apuí, Boca do Acre e Novo Aripuanã. Juntos, eles somaram 143 km² de floresta destruída em junho.

Novo lote com 314 mil doses da vacina contra a Covid-19 será entregue na noite desta terça-feira

No início da noite desta terça-feira (20), a Bahia receberá mais um lote de vacinas contra Covid-19. Serão 314 mil doses da AstraZeneca/Oxford/Fiocruz que chegarão no voo das 18h45, que pousará no aeroporto de Salvador. Serão doses para primeira e segunda aplicação.

As vacinas serão distribuídas por via terrestre e também em aeronaves do Grupamento Aéreo da Polícia Militar e da Casa Militar do Governador, após conferência da equipe da Coordenação de Imunização do Estado. Elas serão remetidas, exclusivamente, aos municípios que aplicaram 85% ou mais das doses anteriores. Esta foi uma decisão da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que é uma instância deliberativa do SUS e reúne representantes dos 417 municípios baianos e o Estado.

Com esta nova remessa, a Bahia chegará ao total de 10.222.380 doses de vacinas recebidas, sendo 3.554.400 da Coronavac, 5.373.050 da Oxford/AstraZeneca, 1.040.130 da Pfizer e 254.800 da Janssen.

Covid-19: Anvisa aprova estudo clínico com 3ª dose da AstraZeneca

Pesquisa contará com 10 mil voluntários no Brasil | Helia Scheppa/SEI/ SBT News

 

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta 2ª feira (19.jul) um estudo clínico para avaliar a segurança, imunogenicidade e eficácia de uma terceira dose da vacina da AstraZeneca contra a covid-19. O imunizante será aplicado entre 11 e 13 meses após a segunda dose.

O estudo de fase III será controlado, randomizado e simples-cego, quando só o voluntário não sabe se recebeu uma dose da vacina ou de placebo.

Segundo a agência, a pesquisa será realizada com 10 mil voluntários entre 18 e 55 anos dos Estados da Bahia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e São Paulo. O estudo irá avaliar o grupo que está altamente exposto à infecção do novo coronavírus, como profissionais de saúde. Gestantes e individuais com comorbidades não foram incluídos.

Proxalutamida

Hoje, a Anvisa também autorizou os testes clínicos do medicamento Proxalutamida para avaliar a segurança e eficácia do fármaco na redução da infecção viral causada pelo novo coronavírus e no processo inflamatório provocado pela covid-19.

O estudo será de fase III está sendo feito na Alemanha, Argentina, África do Sul, Ucrânia, México, Estados Unidos e no Brasil, onde participarão 12 voluntários no estado de Roraima e outros 38 em São Paulo. Somente participarão pacientes ambulatoriais do sexo masculino com covid de leve a moderada.











rl consultoria




web