WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

camara de ilheus



abril 2021
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
videos


:: 13/abr/2021 . 17:45

Bahia: Eventos com até 50 pessoas estão liberados para alguns municípios

Os eventos com a presença de até 50 pessoas estão liberados na maior parte da Bahia. As regiões oeste e de Irecê são as exceções por conta do alto índice de contaminação da Covid-19. A proibição, que envolve 61 municípios das duas regiões, será publicada em decreto na versão on-line do Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira (13).

Permanecem suspensos nesses 61 municípios os eventos e as atividades, independentemente do número de participantes, ainda que previamente autorizados, que envolvam aglomeração de pessoas, como eventos desportivos, religiosos, cerimônias de casamento, feiras, circos, eventos científicos, solenidades de formatura, passeatas e afins, bem como aulas em academias de dança e ginástica.

No oeste, a medida vale para os municípios de Angical, Baianópolis, Barra, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Brejolândia, Brotas de Macaúbas, Buritirama, Canápolis, Catolândia, Cocos, Coribe, Correntina, Cotegipe, Cristópolis, Formosa do Rio Preto, Ibotirama, Ipupiara, Jaborandi, Luís Eduardo Magalhães, Mansidão, Morpará, Muquém do São Francisco, Oliveira dos Brejinhos, Paratinga, Riachão das Neves, Santa Maria da Vitória, Santa Rita de Cássia, Santana, São Desidério, São Félix do Coribe, Serra do Ramalho, Serra Dourada, Sítio do Mato, Tabocas do Brejo Velho e Wanderley.

Na região de Irecê, o decreto envolve os municípios de América Dourada, Barra, Barra do Mendes, Barro Alto, Bonito, Buritirama, Cafarnaum, Canarana, Central, Gentio do Ouro, Ibipeba, Ibititá, Irecê, Itaguaçu da Bahia, João Dourado, Jussara, Lapão, Morro do Chapéu, Mulungu do Morro, Presidente Dutra, São Gabriel, Souto Soares, Tapiramutá, Uibaí e Xique-Xique.

Ilhéus: Vereador Kaíque pede a inclusão dos portadores do HIV na primeira fase de vacinação contra a Covid-19

O vereador Kaíque Souza (Podemos) defende a inclusão dos portadores do HIV/Aids do município na 1ª fase do grupo prioritário de vacinação contra a Covid-19 em Ilhéus. A solicitação foi encaminhada ao secretário municipal de Saúde, Geraldo Magela.

De acordo com o vereador Kaíque, o requerimento apresentado se justifica em função do risco que o grupo possui. “Será uma constante e provável perda de vidas caso não haja o cuidado necessário para a sobrevivência destas pessoas”, afirma o parlamentar.

O HIV é a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana. Causador da Aids, o vírus ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças. Agora, em tempos da pandemia, esse grupo corre sérios riscos e a vacina seria um meio eficaz para garantir a saúde desta parcela da população.

Governo e companhia aérea apostam em voos regionais para o segundo semestre

A implantação de voos comerciais para destinos turísticos como Boipeba, Maraú, Mucugê e aumento das frequências para Morro de São Paulo foram temas discutidos nesta segunda-feira (12), durante reunião entre representantes da Abaeté Aviação e a Secretaria do Turismo do Estado (Setur).

Na oportunidade, o titular da Setur, Fausto Franco, afirmou que a conectividade é fundamental para dinamizar mais o setor, sobretudo nas regiões mais distantes, considerando a dimensão territorial da Bahia, com distâncias entre a capital e alguns municípios que podem a chegar a mil quilômetros.

Durante o encontro, ficou definido que, até o fim deste ano, a Abaeté terá voos para Boipeba e Maraú, além de linhas sazonais para Mucugê, na Chapada Diamantina, em períodos do ano de maior demanda de turistas para o município, que é tombado como patrimônio histórico.

Já em relação a Morro de São Paulo, a Abaeté começou a voar para o destino em dezembro de 2020, havendo uma interrupção atualmente, mas com previsão de retorno, segundo o diretor Thiago Tosto, para o próximo mês de setembro, com possibilidades de haver até três frequências, por dia, caso haja uma boa resposta na demanda.

De acordo com Héctor Hamada, diretor recém-contratado pela Abaeté, este é o momento de se preparar para a retomada, com agilização dos processos de custos e profissionalizar ainda mais a equipe. Ele ressaltou que a Bahia é um destino turístico consolidado, com diferentes opções além do tradicional sol e praia.

O titular da pasta do turismo destacou que cada região tem sua particularidade, mas todas com apelo para o turismo de experiência, a exemplo dos cânions do São Francisco (Paulo Afonso); as vinícolas de Juazeiro; as fazendas de cacau na região de Ilhéus; o ecoturismo da Chapada Diamantina, que reúne 34 municípios com viés turístico, dentre outros.

Abaeté Aviação

Há mais de 40 anos no mercado de fretamento de aeronaves de pequeno porte na Bahia, a empresa ganhou autorização da Anac para operar voos regulares, com venda individualizada de assentos em aviões de até 19 lugares, ainda em 2020, com a articulação do secretário Fausto Franco, que vê na conectividade, no fácil acesso, juntamente com a infraestrutura, fatores definitivos para a dinamização do turismo.

Política: Estrategistas de Bolsonaro 2022 veem atraso em cronograma; a preferência será pelo PSL

Entre o núcleo mais próximo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a opinião é unânime: ele já passou da hora de definir de uma vez à qual legenda irá se filiar. Segundo fontes que estarão na linha de frente da campanha presidencial à reeleição em 2022, o cronograma desenhado para as movimentações partidárias já está todo atrasado em no mínimo quatro meses.

A corrida contra o tempo se dá porque, em pleno abril de 2021, o plano era já ter o controle de diretórios estaduais do partido e estar a todo vapor na busca por lideranças regionais com potencial para serem candidatas aos postos de governador, deputado estadual e federal, formando uma rede robusta de palanques para a reeleição de Bolsonaro.

A preferência é pelo PSL, partido pelo qual foi eleito em 2020. Mas, para que possa voltar, ele exige a expulsão de alguns ex-aliados que se tornaram críticos ao seu governo, como Joice Hasselmann (SP) , Julian Lemos (PB) e Junior Bozzella (SP). E mais: quer também o controle de diretórios estaduais estratégicos, como São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo.

Mas por que Bolsonaro prefere o PSL, legenda que continua sendo presidida pelo deputado Luciano Bivar (PE), seu atual desafeto (com chances de voltar a ser afeto)? São vários os motivos. Pragmaticamente, o principal deles é que o Partido Social Liberal era um nanico quando abrigou o então candidato Bolsonaro e se tornou, graças a ele, hoje a maior bancada da Câmara de Deputados, com 53 parlamentares. Isso significa mais tempo de rádio e de televisão para veicular propaganda partidária; mais dinheiro para produzir toda essa publicidade e bancar viagens pelo Brasil; além de dispor de maior capilaridade, tendo congressistas pedindo votos ao presidente em vários cantos do país.

Conceitualmente, aqui vale invocar uma frase atribuída Ulysses Guimarães, ex-presidente da Assembleia Constituinte, e repetida à exaustão em Brasília: política não se faz com o fígado. Se para conquistar nova vitória for preciso esquecer as brigas do passado, Bolsonaro está disposto a conceder o seu perdão.

Mas por que Bolsonaro busca por todo esse aparato se em 2018 ele foi vencedor sem tempo, sem dinheiro, sem marqueteiro estrelado, sem bancada, sem nada? A principal razão tem nome e sobrenome: Luiz Inácio Lula da Silva. A missão de Bolsonaro, além de mostrar os feitos de seu próprio governo, será refrescar a memória dos brasileiros que o ex-presidente Lula e o PT estiveram mergulhados em denúncias cabeludas de corrupção. Seja Lula candidato ou não.

Caso não consiga fechar com PSL, veja quais são as principais opções hoje:

Partido da Mulher Brasileira (PMB)

Não há nenhuma resistência de Jair Bolsonaro quanto ao nome da legenda, que inclusive poderia até ser alterada, mas é considerada pequena em termos de estrutura, tempo e dinheiro e o colocaria em condição de desvantagem em relação ao PT, que deve ser seu principal adversário na eleição do ano que vem.

PTB

Embora atraente, há sempre a dúvida sobre a verdadeira autonomia que Bolsonaro teria sobre o comando do partido, que já tem dono e se chama Roberto Jefferson, ex-deputado federal e o primeiro parlamentar a denunciar o mensalão do PT. Jefferson foi condenado pela Justiça por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Patriota

É considerado pelos estrategistas de Bolsonaro como um meio-termo: tem seis deputados federais, teve parte de suas linhas ideológicas desenhadas por bolsonaristas, possui estrutura pequena, mas não minúscula e, apostam, poderia garantir independência para Bolsonaro dar as coordenadas frente à legenda, inclusive regionalmente.











rl consultoria




web