Cachorrinha Lilica

Quem tem um animalzinho em casa sabe que as festas de fim de ano podem ser muito estressantes, por conta dos fogos de artifício, que deixam os pets nervosos e agitados. Por isso, é importante saber como acalmar seu cachorro ou gato nesses momentos – e ir se preparando desde já.

A veterinária Thaís Matos, da DogHero, explica que é preciso supervisioná-los para mantê-los seguros e saudáveis: “Mesmo durante as ocasiões especiais, os tutores precisam manter a rotina do animal o quanto for possível… Horário regular de alimentação, sono e caminhada. É preciso ficar de olho e perceber se há mudanças que demonstrem ansiedade, depressão ou perda de apetite. O medo e o estresse causados pelos fogos do Ano-Novo podem gerar trauma e fazer mal para o cãozinho, portanto, deve-se evitar que ele passe por uma situação crítica sem nenhum tipo de cuidado ou amparo”.
Além disso, devido à grande movimentação que acontece nas casas nessa época do ano, é essencial tomar cuidado, principalmente, com as crianças. Os bichinhos podem ficar muito estressados caso queiram abraçá-los ou brincar com eles. Confira as dicas de Jade Petronilho, da Petlove, para tranquilizar seu animal de estimação durante as festividades!
Dicas para proteger seu pet do barulho dos fogos

Aja naturalmente

Ao mostrar que você não está preocupada com o barulho, o animal tende a se sentir mais confiante e tranquilo com a situação. Não castigue seu pet por qualquer comportamento relacionado ao medo, nem o recompense por se mostrar assim.

Isole o ambiente

Quanto menor for o barulho e a quantidade de flashes das explosões dentro de casa, mais fácil será acalmar o cachorro e evitar sinais de estresse. Para conseguir ficar de olho nele e oferecer um ambiente fechado e seguro, o tutor deve mantê-lo dentro de casa, nunca do lado de fora, em apenas um cômodo (sala ou quarto).
O ideal é retirar todos os objetos que possam oferecer algum risco de derrubar ou quebrar. Lembre-se de ficar sempre atenta ao comportamento do seu pet durante as celebrações e, caso note algo estranho, procure a ajuda de um médico veterinário.

Distraia o animal

Por conta da ansiedade, o cãozinho pode ficar pedindo colo, pulando ou chorando. Assim, um ótimo jeito de fazer o pet perceber que está em segurança é oferecer os petiscos ou brinquedos que ele mais gosta, com animação e sorrindo. Os cães entendem muito bem nossas expressões faciais e é muito importante que você não se mostre preocupada com o medo dele.
Ofereça “rotas de fuga” e abrigos

Permita ao seu pet que possa se esconder na hora da euforia dos humanos. Ofereça “rotas de fuga” seguras, onde ele possa ficar sem ser incomodado. Crie “abrigos artificiais” na sua casa, fazendo “tocas” de panos: entre objetos relativamente altos, prenda tecidos (lençóis, cobertores, edredons ou afins) e, no chão, coloque sua caminha.

Se ele já possui uma cama no estilo toca, coloque-a em um local em que a agitação seja menor. Muitos gostam de entrar embaixo da cama dos tutores e ficam ali por horas. Se isso não oferecer risco a animal, permita que fique por lá e só saia quando se sentir bem. Jamais o force a sair de lá! Isso o deixará mais estressado e poderá colocar a relação de confiança entre vocês em risco.

Feromônios sintéticos

Atualmente, existem opções de produtos no mercado que prometem minimizar o desconforto de pets que ficam estressados com os fogos e rojões. Entre eles estão o Adaptil (para cachorros), que pode ser encontrado em forma de spray ou difusor; e o Feliway (para gatos), também em difusor. Para que tenham o resultado esperado, devem ser utilizados dias antes do início das comemorações, não sendo tão eficazes quando usados em cima da hora.
Agindo como feromônios sintéticos específicos, que dão a sensação de prazer e calmaria, os produtos também podem ser aplicados em outras situações de ansiedade e agitação, como no banho e tosa, pós-cirúrgico, chegada de um bebê na família, adoção de um novo animal, etc.

Porém, antes de utilizar qualquer produto no seu pet, consulte um veterinário de confiança, para não causar nenhum problema de saúde. Com uma prevenção caprichada, as chances de o bichinho ter uma crise de ansiedade ou ficar apavorado são bem menores!

Por: Alto astral