Até meados de agosto, a 13ª Ciretran era administrada pelo grupo do prefeito Mário Alexandre. Durante esse período, os usuários dos serviços não pouparam críticas ao órgão. As queixas foram inúmeras. Desde a falta de papel para a impressão do licenciamento veicular, instalações precárias, veículo oficial abandonado sendo sucateado e até mesmo denúncias de atos ilícitos, seja nos exames, vistoria ou emissão de documentos.

Os usuários do serviço criticaram duramente a capacidade de gestão do indicado do prefeito. Muitos, temendo retaliação, preferiram não se identificar.